Arquivo da categoria: Mundial Masculino

Copa do Mundo de Basquetebol masculino: estatísticas finais

Amigos do Basquetebol

Para finalizar os posts abordando a Copa do Mundo de Basquetebol Masculino apresento as estatísticas finais.

Serão apresentados os dados acumulados (em porcentagens e médias) das 24 equipes, das quatro primeiras e das oito melhores classificadas, além dos números do Brasil para que possamos estabelecer um padrão de comparação.

São dados compilados do site oficial da FIBA. Pela ordem serão apresentados os dados do ca peonato todo, 4 primeiros colocados, 8 primeiros colocados e Brasil para cada item. Também será apresentado o resultado da melhor equipe em cada item.

2 pontos: 51,0%; 56,4%; 55,9%,  55,5% ; França e Espanha – 58,8%

3 pontos: 34,6%; 37,0%; 35,4%; 37,3%;  Austrália – 47,9%

L.livres: 71,5%; 72,2%; 71,1%; 61,8%; Filipinas – 79,6%

Rebotes: 35,2; 36,8 36,6; 38,7; EUA – 44,8

Assists: 14,4; 16,4; 16,0; 10,3; EUA – 20,4

B.Perdidas: 14,5; 13,5; 13,2; 15,7; Argentina – 9,2

B.Recuperadas: 6,7; 6,9; 7,2; 7,9; EUA – 12,1

Eficiência: 77,3; 93,8; 90,2; 92,6; EUA – 127,3

Pontos: 75,5; 85,2; 81,9; 79,6; EUA – 104,6

Pontos contra: 76,1; 72,5; 71,6; 68,9; Espanha – 62,1

 

Copa do Mundo de Basquetebol Masculino: os armadores

Amigos do Basquetebol

Como “grande” armador que fui, sempre tive uma atenção especial para os jogadores que atuam nesta posição.

Apesar de grandes ausências na posição (Tony Parker, Spanoullis e Diamantidis), na Copa do Mundo de Basquetebol Masculino, recentemente realizada na Espanha tivemos a oportunidade de ver um desfile de grandes armadores.

Para ilustrar esse desfile compilei as estatísticas dos armadores das 16 equipes melhores classificadas, tomando como base a relação oficial de atletas contida no site oficial do evento (http://www.fiba.com/spain2014) e aqueles que tiveram o maior tempo de jogo quando comparados a outros armadores da mesma equipe.

Os armadores selecionados para está análise foram:

Irving (EUA), Teodosic (Sérvia), Heurtel (França), Juskevivius (Lituânia), Rubio (Espanha), Huertas (Brasil), Dragic (Eslovênia), Arslan (Turquia), Zizis (Grécia), Bogdanovic (Croácia), Prigioni (Argentina), Delavedova (Austrália), Feldeine (Rep. Dominicana), Ayon (México), Penney (N.Zelândia) e Dalmeida (Senegal).

Os dados médios gerais desses 16 armadores mostram que o tempo médio de jogo foi de 25,1 minutos com 52,0% de aproveitamento de 2 pts, 39,3% de 3, 76,4% nos lances livres. Nos rebotes a média foi de 3,0 por jogo, 3,4 assists, 2,0 nas bolas perdidas e 1,1 nas recuperadas. A eficiência média foi de 11,4 e a média de pontos foi de 10,8.

A seguir mostro os 3 melhores armadores por quesito e a posição do nosso Marcelinho Huertas em relação aos demais:

Minutos: Bogdanovic (CRO) – 33,0; Penney (NZL) e Feldeine (RDM) – 28,3; Huetas – 20,4 (5o.)

% 2: Teodosic (SRV) – 18/26 69,2%; Dragic (ESL) – 35/52 67,3%; Ayon (MEX) – 36/59 61,0%. Huertas – 15/28 53,6% (7o.)

% 3: Irving (EUA) – 14/23 60,9%; Zizis (GRE) – 9/17 52,9%; Prigioni (ARG) – 10/20 50,0%; ; Huertas – 3/9 33,3% (12o.)

% l.livres: Prigioni (ARG) – 15/16 93,8%; Teodosic (SRV) e Juskevivius (LIT) – 17/19 89,5%; Heurtel (FRA) – 20/24 83,3%;  Huertas – 9/11 81,8%

Rebotes: Ayon (MEX) – 6,3; Penney (NZL) – 4,5; Rubio (ESP) – 4,4. Huertas – 2,3 (11o.)

Assists: Dalmeida (SEN) – 5,3; Rubio (ESP) – 5,1; Teodosic (SRV) – 4,4. Huertas – 3,9 (8.o.)

B.Perdidas: Zizis (GRE) – 0,8; Huertas – 1,0; Arslan (TUR) – 1,1

B.Recuperadas: Rubio (ESP) – 3,6; Prigioni (ARG) – 1,8; Irving (1,9); Huertas – 0,4 (14o.)

Eficiência: Bogdanovic (CRO) – 16,7; Ayon (MEX) 16,0; Irving (EUA) – 14,7. Huertas – 9,4 (12o.)

Pontos: Bogdanovic (CRO) – 21,2; Dragic (ESL) – 16,0; Ayon (MEX) – 14,7. Huertas – 6,9 (14o.)

 

Kyrie Irving (EUA) MVP da Copa do Mundo de Basquetebol

Kyrie Irving (EUA) MVP da Copa do Mundo de Basquetebol

 

Copa do Mundo de Basquetebol: novidades 2

Amigos do Basquetebol

Neste segundo post sobre as novidades da Copa do Mundo de Basquetebol Masculino, o presidente da FIBA, Horácio Muratoria, em entrevista a mim concedida durante o Congresso Internacional de Mini-basquetebol realizado em Córdoba, fala das mudanças no sistema de classificação para a Copa do Mundo de Basquetebol que será realizada em 2019.

Muratori explicou que o Pré Mundial realizado na Venezuela, em 2013, foi o último, naquele formato, para classificar os países para a Copa do Mundo.

Para 2019 o sistema mudará completamente, a partir do número de países participantes que aumentará de 24 para 36. Além disto Ásia e Oceania formarão uma única zona o que reduzirá para quatro as zonas classificatórias.

Muratori falou como será a classificação para a Zona Americana (que deverá ser igual para África e Ásia+Oceania). Para a Europa, devido ao grande número de países, o sistema ainda está sendo estudado.

As Américas terão sete vagas na Copa do Mundo (ao invés das 4 que tivemos em 2014).

As equipes serão divididas em 4 sub-grupos (A, B, C, D) de 4 equipes cada. Essas quatro equipes jogarão entre si em partidas de ida e volta, nas chamadas “janelas esportivas”. Essas Janelas ocorrerão em novembro de 2017, fevereiro e junho de 2018.

No final desta Janela serão formados dois grupos com os três primeiros de cada zona: GE (GA +GB) e GF (GC + GD). As equipes classificadas do GA jogarão contra as equipes classificadas do GB levando os resultados da fase anterior. Serão também jogos de ida e volta, que serão realizados em setembo e novembro de 2018 e fevereiro de 2019. O mesmo acontecerá entre os classificados do GC e GD.

As três melhores equipes de cada grupo (E e F) e o melhor quarto colocado estarão automaticamente classificadas para a Copa do Mundo de 2019.

Em relação aos Jogos Olímpicos, Muratori afirmou que para 2016 o sistema de classificação será o mesmo, através de pré-olímpicos continentais, mantendo-se o número de 12 equipes. A FIBA está tentando aumentar para 16 equipes em 2020.

Para os Jogos Olímpicos de 2020 também haverá uma mudança importante na classificação das equipes. Somente o país sede terá vaga garantida. Caso se mantenha o número de 12 equipes, 7 vagas serão distribuídas a partir da classificação na Copa do Mundo: 2 para os dois melhores classificados da América, 2 para os dois melhores classificados da Europa e 1 para o melhor classificado da África, Ásia e Oceania.

As 4 vagas restantes serão distribuídas a partir de um torneio que reunirá 24 equipes, divididas em quatro grupos que serão indicadas também a partir da classificação na Copa do Mundo.

Assim sendo, a Copa do Mundo terá um papel muito importante para determinar a classificação para os Jogos Olímpicos.

Agradeço ao Presidente da FIBA, Horácio Muratori pela gentileza e atenção ao conceder essa entrevista, esclarecendo pontos importantes para o futuro do basquetebol mundial.

Copa do Mundo de Basquetebol: novidades – 1

Amigos do Basquetebol

Aproveitendo a estada do Presidente da FIBA, Horácio Muratori, no Congresso Internacional de Mini-basquetebol tive a oportunidade de entrevistá-lo sobre as novidades da Copa do Mundo de Basquetebol que vigorarão a partir de de 2017 visando o campeonato que será realizado em 2019.

A principais mudanças para a Copa do Mundo de basquetebol são: a mudança do ano de realização, o aumento do número de países participantes (de 24 para 32) e o novo sistema de disputa que dá um número maior de vagas para os continentes, especialmente América e Europa, além da unificação do pré-mundial Asiático e Oceania.

E foi pela questão da mudança de ano de realização que começamos nossa agradável conversa.

VB – Quais os motivos para a mudança do ano de realização da Copa do Mundo de Basquetebol?

HM – O principal deles é que queremos que a Copa do Mundo de basquetebol seja o principal evento do basquetebol mundial. Sabemos que muitos países, por seu realacionamento com o Comitê Olímpico Internacional, dão maior importância à participação nos Jogos Olímpicos. Com esta mudança queremos que esses países possam dar mais importância à Copa do Mundo. Para isto também aumentamos o número de participantes de 24 para 32.

Outro motivo é tirar a Copa do Mundo de Basquetebol do mesmo ano da Copa de Futebol. Como o Futebol é o primeiro esporte no mundo, muitas federações de basquetebol eram prejudicadas após a realização do Mundial de Futebol pois não conseguiam patrocinadores, estatais e privados, devido aos investimentos feitos no futebol. A própria FIBa também tem dificuldades de obter patrocinadores e mesmo espaço na mídia pois os patrocinadores e meios jornalísticos preferem pagar “10 pesos” por 1 segundo no futebol do que pagar “1 peso” por todo o tempo de nós colocávamos à sua disposição para a divulgação do Basquetebol. Mas esta é a realidade pois o futebol é impressionante e é muito difícil mudar esta realidade.

VB – e esta mudança de data será somente para o torneio masculino ou também para o feminino?

HM – a princípio somente para o masculino. Os demais torneios, femininos e todos os campeonatos para jovens continuarão com o mesmo calendário. Isto não significa que não possa haver mudanças. Recentemente tivemos um reunião em Istambul, durante o Mundial feminino e nos preocupa a situação do basquetebol feminino no mundo. Há equipes e jogadoras espetaculares mas que não têm a mesma projeção do que no masculino. Temos que encontrar meio de elevar o nível de projeção do feminino, tentando colocá-lo o mais próximo possível do masculino.

No próximo posta abordaremos as mudanças no sistema de disputa para a Copa do Mundo de Basquetebol Masculino.

 

Copa do Mundo de Basquetebol: números, melhores e piores

Amigos do Basquetebol

Com o final da Copa do Mundo de Basquetebol seguem alguns números da competição:

Classificação final: 1- EUA; 2 – Sérvia; 3 – França; 4 – Lituânia; 5 – Espanha; 6 – Brasil; 7 – Eslovênia; 8 – Turquia; 9 – Grécia; 10 – Croácia; 11 – Argentina; 12 – Austrália; 13 – Rep. Dominicana; 14 – México; 15 – N.Zelândia; 16 – Senegal; 17 – Angola; 18 – Ucrânia; 19 – P.Rico; 20 – Iran; 21 – Filipinas; 22 – Finlândia; 23 – Coreia; 24 – Egito.

- Foram realizados 76 jogos.

- Melhores ataques: EUA (104,6 pts); Espanha (83,0); Sérvia (82,6) – Brasil (8o. – 79,6)

- Pior ataque: Egito (62,2)

- Melhores defesas: Espanha (62,1); Brasil (68,9); EUA (71,5)

- Pior defesa: Egito (97,2)

- Melhor aproveitamento de 2 pts: França (58,8%); Espanha (58,8%); Eslovênia (58,7%) – Brasil (7o. – 53,8%)

- Pior aproveitamento de 2 pts: Finlândia (40,9%)

- Melhor aproveitamento de 3 pts: Austrália (47,9%); EUA (40,1 %); P.Rico (39,3%) – Brasil (6o. – 37,3%)

- Pior aproveitamento de 3 pts: Coreia (26,5%)

- Melhor aproveitamento de L.Livres: Finlândia (79,6%); Lituânia (77,0%); Espanha (76,2%) – Brasil (23o. – 61,8%)

- Pior aproveitamento de L.Livres: Egito (61,0%)

- Melhor rebote: EUA (44,8); Angola (40,4); R.Dominicana e N.Zelândia (39,7) – Brasil (6o. – 38,7)

- Pior rebote: Coreia (25,8)

- Melhor assistência: EUA (20,4); Espanha (18,0); Grécia (17,7) – Brasil (10o. – 15,7)

- Pior assistência: Egito (10,2)

- Melhor b.perdidas:  Argentina (9,2); Brasil (10,3); Espanha (11,6)

- Pior b.perdidas: Iran (19,0)

- Melhor b.recuperadas: EUA (12,1); Ira (9,6); Senegal (8,8) – Brasil (6o. – 7,9)

- Pior b. recuperadas: Lituânia (4,0)

- Equipes mais eficientes: EUA (123,3); Espanha (101,1); Grécia (96,7). Brasil (4o. – 92,6)

- Cestinhas: Barea (P.Rico) – 22,0; Blatche (Filipinas) – 21,2; Bogdanovic (Croácia) – 21,2. Brasil – Leandrinho (33o.) – 11,9

- Rebotes: Blatche (Filipinas) – 13,8; Haddaddi (Iran) – 11,4; Dieng (Senegal) – 10,7. Brasil – Varejão (9o.) – 8,0

- Assists: Koponen (Finlândia) – 5,8; Dalmeida (Senegal) – 5,3; Rúbio (Espanha) – 5,1. Brasil – Huertas (15o.) – 3,9

 

EUA campeão!

Amigos do Basquetebol

A Copa do Mundo de Basquetebol terminou de forma esperada e não esperada.

Eu explico

Esperada pela vitória norte-americana que era a opinião da maioria dos aficionados do basquetebol. Esta vitória deu aos EUA o quinto título mundial, o segundo consecutivo.

Não esperada porque todos imaginavam uma final com a Espanha, o que não aconteceu.

Não esperada porque a Sérvia, grande equipe e que chegou de forma merecida a esta final foi massacrada pelos americanos que decidiram o jogo já no primeiro quarto.

EUA 129 x 92 Sérvia com parciais de 35×21; 32×20; 38×26; 24×25. Esta foi a segunda maior contagem e segunda maior diferança (37 pts) na história das finais dos mundiais. Em 1994 os EUA venceram a Rússia por 137 x 91 (46 pontos).

O jogo começou com a Sérvia fazendo 12×5. e quando todos pensavam que teríamos uma final mais ou menos equilibrada eis que a máquina americana fez 12×0 e reverteu o placar para 17×12. Daí para frente só nos restou curtir o show dos rapazes da NBA liderados pelo excelente Kyrie Irving que anotou 26 pontos sendo 6/6 em bolas de 3 e 4/7 em bolas de 2 com aproveitamento geral de 77%.

Para a Sérvia só restou deixar o jogo rolar pois nem seu excelente armador Teodosic pode fazer alguma coisa contra a avalanche americana.

A equipe americana foi irrepreensível. A única nota negativa foi a a atuação decepcionante do astro Derek Rose que jogou 16 minutos e, apesar das 6 assistências, zerou, mostrando estar completamente fora de jogo.

Aproveitamento geral: 58% EUA x 48% Sérvia

2 pts: 63% x 62%0%

L.Livres: 83% x 71%

Rebotes: 44 x 32

Assists: 16 x 20

B.Perdidas: 8 x 10

B.Recuperadas: 4 x 3

Cestinhas: Irving (EUA) – 26; Belijca e Kalinic (Sérvia) – 18

3 pts: 50% x 20%

Rebotes: 44 x 32

Assists: 16 x 20

B.Perdidas: 8 x 10

B.Recuperadas: 4 x 3

Cestinhas: Irving (EUA) – 26 pts; Belijca e Kalinic – 18 pts

Rebotes: Cousins (EUA) – 9; Markovic – 6

Assists: Rose (EUA) – 6; Teodosic – 7

A seleção do campeonato e o MVP

Através de votação feita pelos jornalistas foi eleita a seleção do campeonato e o MVP:

Irving (EUA), Fareid (EUA), Pau Gasol (Espanha), Teodosic (Sérvia) e Batum (França)

MVP: Irving (EUA)

Agora é esperar pela próxima Copa do Mundo cuja sede será anunciada em Maio.

Valeu Granada, Valeu Barcelona e Valeu Madrid e obrigado a todos que me seguiram nesta jornada.

 

Norte-americanos comemorando o título

Norte-americanos comemorando o título

 

 

Eua x Sérvia: a grande final

Amigos do Basquetebol

A grande final da Copa do Mundo de Basquetebol será entre Estados Unidos e Sérvia.

A Sérvia fez sua última final em 2002 quando, pela primeira vez, disputou um Mundial com essa denominação. Foi campeã vencendo a Argentina.

Os Estados Unidos fazem sua segunda final consecutiva. Em 2010 a Turquia. Os norte-americanos buscam o quinto título na competição.

Aqui na Espanha os Sérvios chegaram à final somando 5 vitórias (Egito, Iran, Grécia, Brasil e França) e 3 derrotas (Brasil, Espanha e França). Já os Estados Unidos chegam invictos – 8 vitórias (R.Dominicana, Turquia, Finlândia, .Zelândia, Ucrânia, México, Eslovênia e Lituânia).

Estes são os números das equipes para até aqui: Estados Unidos x Sérvia

Ataque: 101,5 x 81,4

Defesa: 69,9 x 73,4

Eficiência: 125,0 x 86,9

2pts: 56,4% x 55,0%

3 pts: 38,3% x 40,0%

L.Livres: 69,4% x 63,9%

Rebotes: 44,9 x 32,1

Assists: 21,0 x 16,4

B.Perdidas: 14,4 x 12,1

B.Recuperadas: 13,1 x 6,6

Cestinhas: Harden – 13,1 x Teodosic – 14,0

Rebotes: Faried – 7,9 x Belijca – 7,4

Assists: Irving – 3,5 x Teodosic – 4,1

Eficiência: Faried – 18,8 x Belijca – 14,9

Com certeza teremos um grande jogo. O favoritismo americano é grande, mas a Sérvia é um time que cresceu nas fases eliminatórias e conta com jogadores experientes e de muita qualidade.